quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

O câncer de Cristina

Cristina Kirchner mandou avisar que está com câncer. O tumor foi descoberto durante exames de rotina na tireoide e a presidenta vai se submeter a uma cirurgia no dia 4 de janeiro. Apenas 17 dias após iniciar o segundo mandato, CFK recebeu o diagnóstico. Amado Boudou, o jovem vice, será o presidente da Argentina durante a licença médica de Cristina.

Com o diagnóstico, a líder argentina é o quinto caso de câncer entre presidentes ou ex-presidentes da América Latina: Dilma, Chávez, Lugo, Lula e, agora, Cristina. Sobre a doença de Cristina é preciso dizer que trata-se de um tipo de câncer comum em mulheres da idade dela e praticamente curável. Em menos de um mês ela estará pronta para outra. Como não sou médico, o que me toca aqui é comentar o efeito político desse diagnóstico.

É interessante observar o tratamento que o jornal opositor Clarín está dando para a notícia. A estratégia do grupo que odeia Cristina é minimizar a doença para que a presidenta não aumente ainda mais o apoio popular que tem. Por sua vez, CFK é uma política e os políticos vivem da imagem que têm perante seus eleitores. Uma doença, por mais terrível que possa ser, também é um fato positivo politicamente e, dessa forma, será usado por ela – e com todo o direito. Basta observar o caso do ex-vice-presidente brasileiro, José Alencar, um desconhecido que se transformou em amado pela população após lutar mais de dez anos contra um câncer.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Evo e o mar

O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou esta semana que não pretende seguir dialogando com o Chile por mais 130 anos para ter uma saída para o mar. O presidente disse que pretende recorrer ao tribunal de La Haya para que se revise o tratado de limites de 1904.

Para ela, a perda do trecho que saída para o mar para o Chile foi injusta e imposta a baixo de pressões políticas. Na chamada Guerra do Pacífico, entre 1879 e 1884, a Bolívia entregou ao Chile sua província litoral, com 400 quilômetros de costa e 120 quilômetros quadrados de território.

Isso me lembra aquela velha piada, ressuscitada e atualizada nesses tempos de protestos de estudantes no Chile. Diz que Sebástian Piñera encontrou Evo Morales e perguntou: “Evo, porque você tem Ministério da Marinha?”. Evo respondeu: “Pelo mesmo motivo que você tem Ministério da Educação...”

sábado, 17 de dezembro de 2011

Cala-se a voz de Cesária Évora

Do A Nação:

Cesária Évora morreu esta manhã no Hospital Baptista de Sousa (HBS) em São Vicente, vítima de uma infecção respiratória. A notícia está apanhar toda a gente de surpresa no arquipélago. Aos 70 anos cala-se a voz da maior embaixadora da música de Cabo Verde no mundo.

A diva dos pés descalços como ficará conhecida para a história, tinha sido internada ontem, sexta-feira de manhã, no HBS com um edema pulmonar e insuficiência respiratória. Hoje, pouco passava das 12horas quando Cesária Évora morreu e a notícia já foi confirmada pela produtora da artista, a Harmonia, LDA.

Cesária Évora nasceu em Mindelo a 27 de Agosto de 1941 e ficou conhecida como a rainha da Morna. Seu pai Justino da Cruz tocava cavaquinho, violão e violino de quem herdou os genes da música.

Aos 16 anos começou a conviver de perto com os tradicionais estilos de música cabo-verdiana como a morna e a coladera e rapidamente a sua voz e interpretação conquistaram toda a gente que a escutava.

A sua carreira viria a revelar-se quando conheceu o empresário José da Silva que a levou para França e onde viria a impulsionar toda a sua carreira artística. Ao contrário do que é divulgado, ela canta descalça simplesmente por gostar, por se sentir segura descalça, e não em solidariedade aos «sem-tecto» e às mulheres e crianças pobres de seu país.

Com mais de 20 álbuns, para além de duetos e participações Cize conquistou inúmeros prémios e já foi condecorada em vários países do mundo por onde passou. Para a história imortal de Cabo Verde fica a eterna "Sodade". A mesma "Sodade" que a Diva , a incomparável e insubstituível Cesária Évora deixa para hoje e sempre ao país que a viu nascer.

sábado, 10 de dezembro de 2011

CFK jura a Néstor Kirchner na posse

A presidenta reeleita da Argentina tomou posse neste sábado em Buenos Aires. No tradicional juramento, Cristina Kirchner surpreendeu ao citar Néstor. Veja o vídeo:
Cristina Kirchner é uma patriota. Ela ama a Argentina e quer deixar isso claro. Desde que Kirchner morreu, ela se refere a "él" (sem citar o nome do marido) em todos os discursos. É bonito, aceitável, mas começa a se tornar um gesto cansativo. Incluir o nome de Néstor Kirchner junto com Deus e a Pátria foi um exagero.

Dilma assiste posse de Cristina Kirchner

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Líder estudantil Camila Vallejo perde reeleição na Fech

A mistura de discurso forte, coragem e beleza fez de Camila Vallejo, a então presidente da Federação dos Estudantes da Universidade do Chile (Fech), uma estrela internacional. Desde que milhares de estudantes foram para as ruas exigindo mais investimentos em educação do presidente Sebastián Piñera, Camila passou a ser conhecida internacionalmente. Esteve no Brasil, inclusive, participando de um ato de estudantes em Brasília. Mas a fama não foi suficiente para ela garantir mais um mandato à frente da Fech.

Nesta quarta-feira se conheceu o resultado final das eleições na Federação e Camila foi derrotada pelo estudante Gabriel Boric. A diferença foi de apenas 89 votos.

Mas o que significa essa mudança? Significa que os estudantes, pelo menos a leve maioria, quer radicalizar os protestos. Gabriel Boric participa de movimentos sociais e já disse que rejeita a via parlamentar como espaço de resolução dos problemas dos estudantes.

“A atual institucionalidade no Chile não tem largura para conter as demandas do movimento estudantil e nossa proposta será de confluir com diversos atores sociais. Não estamos dispostos a seguir delegando nossa vocação transformadora aos políticos de ontem. Chegamos para ficar”, disse Boric.

O sistema da Fech prevê que o candidato que fique em segundo lugar na eleição assuma a vice-presidência. Camila Vallejo, então, foi rebaixada.

Por que os estudantes protestam? Para estudar na Universidade do Chile, que é pública, todos os estudantes precisam pagar um valor mensal de cerca de 500 dólares. Esse valor é quase o mesmo cobrado pelas universidade particulares. Aliás, universidades particulares não faltam no país. Em Santiago, onde estive recentemente, há uma em cada esquina. Está bom de motivos?

Gabriel Boric, o novo presidente da Fech, disse que admira Camila e elogiou sua entrega a todo custo. Ele também afirmou que quer liderar um movimento que não mude apenas a educação, mas que mude o Chile.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Pinochet matou Neruda?

O Partido Comunista do Chile quer a exumação dos restos mortais do poeta Pablo Neruda, falecido em 1973, apenas 12 dias após o golpe militar liderado pelo general Augusto Pinochet. Neruda estava com a saúde debilitada em sua casa em Isla Negra quando soube da morte do presidente e amigo Salvador Allende. A partir daí, contam que a saúde do poeta, que sofria com um câncer de próstata, piorou. Foi internado às pressas em uma clínica de Santiago. Ao mesmo tempo em que lutava pela vida, militares invadiram sua casa em Ballevista. A residência foi parcialmente destruída e os livros pessoais do poeta foram inutilizados. Ou seja, Neruda estava na mira de Pinochet.

Agora, os comunistas querem esclarecimentos sobre a morte do poeta. Há suspeitas de envenenamento, fortalecidas por uma entrevista recente de um ex-funcionário de Neruda que afirmou que o poeta recebeu uma injeção que teria provocado um ataque cardíaco. Não é apenas teoria da conspiração, pois as coincidências são muito fortes nesse caso.

Este ano o Chile exumou o corpo do ex-presidente Salvador Allende para determinar a causa da morte, ocorrida no Palácio La Moneda durante o bombardeio dos militares. A conclusão foi que Allende cometeu suicídio.

Certamente o corpo de Pablo Neruda, que descansa em Isla Negra, será exumado. O Chile está revendo o passado e esclarecer a morte de um de seus principais personagens faz parte desse processo. Resta saber se Pinochet, além de ter fornecido provas suficientes de que não mereceria ter nascido, também é o assassino de Pablo Neruda.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Cúpula dos presidentes que venceram o câncer

Fernando Lugo, Dilma, Hugo Chávez e, agora, Lula. Os quatro líderes latino-americanos têm mais em comum do que a ideologia política. Lugo, Dilma, Chávez e Lula foram diagnosticados com câncer.

Como são líderes políticos, querem usar os próprios exemplos de superação para motivar milhares de pessoas que passam por situação semelhante. Para isso, Lula propôs a realização de uma cúpula dos presidentes que superaram o câncer.

Hugo Chávez gostou da ideia e, esta semana, em encontro com Dilma em Caracas, disse que esse evento será promovido em breve e a presidenta brasileira será a mediadora.